sábado, 24 de outubro de 2009

A Distância

Ricardo Salles


Não posso ver, só posso sentir.
Tenho medo de encontrar, porém, desejo te seguir.
Tenho necessidade de ter-te, constante dúvida em buscar-te.
Por isso, observo em silêncio teu passo apressado a se distanciar.

Ela se foi como o tempo se vai com as horas, como os dias se vão com as lembranças.
Perdemo-nos à procura do encontro, na dúvida em acreditar.
Estranho perceber: das certezas nada fica, quando tudo desabar.
Teus dias viram noite, já não consegue mais sonhar.
Afinal, ninguém explica o que explicado está.
Só resta a distância e um olhar sorrindo...

Que vontade eu tenho de ir por aí...
Andar sereno, sem lembrar de ti.
A estrada que tudo leva, não me deixa olhar pra traz.
Pra não lembrar que um dia fui você, tive você em mim.

Letras nem sempre conjugam palavras,
Nessa vida sem rimas, de tristezas justificadas.
Mesmo sem tê-la, eu sei que em algum lugar tu estás.



___________
___________

5 comentários:

Jean Matheo Piccini Lago disse...

Eu sei como dói amigo, eu sei como dói.

Flor de Bela Alma disse...

Nossa, que lindo! Amei sua visita! Bia

Diane disse...

Gostei...;)

Diane disse...

“Quem sabe isso passe

Sendo eu tão inconstante...

Quem sabe eu volte cedo ou

Não volte mais...”

(Ana Carolina)

barbaragoes disse...

Ihh.. acho que confundi o lugar dos comentários! :P
era pra ser aqui o de decepção =/


hehehe
=)