domingo, 15 de agosto de 2010

Descrição..

Eugênio Salles

Eu sou solteiro por opção... delas!
Por viver sozinho não me apego a nada.
Prefiro não ver. Prefiro não encontrar. Esqueço que existe. Escolho se quero lembrar.
Nos dias lentos, fico refletindo durante algum tempo e percebo que o clima merece mais atenção. Ele tem uma tática pra ser lembrado: Fazer sentir, mais que se notar.
E isso é interessante porque antigamente eu não sabia exatamente o que eu queria, mas tinha convicção do que eu não precisava.
Hoje me sinto confuso...
Talvez eu procure um lar, com endereço fixo nas entrelinhas do horizonte.
Talvez escreva no breve cair da chuva, aos olhos simples do luar, observando o tempo que é justo ao passar.
Fico perdido quando percebo que a gente é quadrado, vivendo em círculos, relações triângulares de conhecer o mundo todo. É a exatidão geométrica de uma vida sem sentido.
Já descobri também que quem vender felicidade vai ser o cara mais rico do mundo...
E o mais triste também...
Não gosto de dormir, sonhar em silêncio me parece tão egoísta. Um dia, quem sabe, eu ainda encontro uma maneira pra sonhar acordado, junto com o teletransporte público, é claro.
Não sei, tem coisas que a gente não entende, mas para todas as outras, existe MasterCard.
Eu prefiro a saudade, dor bacana das distâncias.
Vamos ficar em silêncio, alguém talvez possa ouvir.
Quem sabe assim a gente escute, aquilo que faça sentir...
__
__

7 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
marina disse...

aaah que perfeito isso Gabi *-* a 1° a ler >.<

Di disse...

Ameiii...Mto bom!!!

Michele... disse...

amei esse texto!

Thaís Winck disse...

adoooorei!
beijos
http://thaiswinck.blogspot.com/

part of me disse...

Que texto absurdo!rs Estou facinada, com sua "parábola"...a maneira como rodeou nosso dia-a-dia...nossa conduta...enfim..parabéns!!!

Estou seguindo Grande bjoo
Sr Anônimo rs

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.