domingo, 10 de maio de 2009

Os Versos..

_
Talvez eu pudesse dizer um verso romântico, não desses tolos que se vê a todo instante.
Seria romântico, mas diferente...
Talvez eu pudesse dizer um verso grande, grande verso, desses que se vê guardado na estante.
Seria grande, mas seria diferente...
Talvez pudesse dizer um verso que não fosse romântico, nem muito grande e nem declamado.
Seria um verso gritante, daqueles revoltosos que se diz na praça, cantado irradiante, na frente da autoridade, xingando o governante, em meio a lágrimas de justa raiva.
Seria romântico, grande e declamado, mas seria diferente...
Talvez fosse verso sem rima, cansado de tanto rimar, de tanto viver fingindo, de tanto correr prá viver.
Seria romântico, grande, declamado, verso rimado, mas seria diferente.
Diferente seria se pudesse dizer um verso que não fosse apenas verso, que não fosse somente romance, tampouco verso de se ter guardado na estante...
Talvez pudesse ser de alegria, mas que não fosse cantado e nem como os de sempre, que insistem em ter melodia, rima certa e marchas de bateria...
Talvez nem verso com rima seria.
Mas...
Meu verso seria sonho, com rimas da vida.
Não seria meu, de você, ou dele.
Seria diferente, pensado, escrito e declamado por nós.
Seria ele pra sempre um verso vivido por todos...
Quem sabe, o maior do mundo.
Dito a todos, aclamado por muitos, exaltado por milhares.
Seria, enfim, um livro, escrito com lealdade...
Palavra rimando com liberdade.
Prá ser grande, seria simples, nada de dificuldade.
Seria o verso da vida, que rima diferença com DIGNIDADE....
.
.
.
Dr. Cardoso
__________________________________________

JUNTOS E ENTERRADOS, MAS NEM MORTOS CALADOS..
__________________________________________

8 comentários:

Yuki Sabanay disse...

Talvez...
Seria...
Seria...
Talvez..
Diferente.
Mas..
Seria...
Quem sabe...
Enfim...
Dignidade.

Gabriel Bedin Slevinski disse...

Talvez, seria diferente, se quem sabe, enfim, compreendessemos que, DIGNIDADE é maior que qualquer verso e por isso mesmo nem sempre tem dado rima... mas isso é dificil né?

Jean Matheo Piccini Lago disse...

Esse verso/livro tem nome.
É Constituição.
Qual delas eu não sei, mas esse é o nome.

Débora disse...

"DIGNIDADE" poucos tem, alguns desconhecem, outros são indiferentes, outros morrem com as suas. Talvez fosse um verso, ou algumas palavras soltas, sem rimas, sem leitores, para alguns sem importância. Mas ainda sim, mesmo não rimando, não sendo declamado, existe, mas quem tem não vê necessidade de mostrar pra todo mundo que tem, apenas tem e vive com esse privilégio!

[meuscomentáriosasvezesnãotemlógica,maseupensoisso, haha]

Lih Marques disse...

a poesia é como um toque suave no rosto de quem a lê, não é mesmo? gostei!

estou aqui retribuindo a visita do Gabriel no meu blogue, o Dulce Malagueta.

obrigada pelas palavras sobre meu último post, Gabriel!

un besito,
Lih

http://fatimarlete.blogspot.com.br disse...

Gabriel, o Grande! Grande Poeta, cuja Diferença e Dignidade estão no avesso do verso.
Beijos.
Fatima Marlete

Pe. Roque disse...

Interessante. Revela o sonho de um mundo diferente. Não é um sonho de todos, mas é diferente. Quem sabe, um dia, veremos este sonho tornar-se realidade. E todos nós poderemos dizer o que sentimos de verdade, com total liberdade.

Gostei dessa, Parabéns.

Bárbara disse...

engraçado
interessante
x lindo


=)